Sites Grátis no Comunidades.net
Translate to English Translate to Spanish Translate to French Translate to German Google-Translate-Portuguese to Italian Translate to Russian Translate to Chinese Translate to Japanese
Biblia
Você Acredita na Volta de Jesus??
Sim! Eu Acredito
Não! Eu Não Acredito
Eu Tenho Minhas Duvidas
Prefiro Não Optar
Ver Resultados

Rating: 3.0/5 (275 votos)




ONLINE
1





Partilhe este Site...




Rider Leão Levita do Senhor Jesus



QUEM SOMOS

Será que esta pergunta já se levantou dentro de você? É possível que diante de tal indagação você descreva sua identidade em termos de nome, nacionalidade, raça, profissão e religião. Não é disso que quero falar. Estou pensando em como você se vê por dentro, na sua real identidade. Você já teve um encontro com Cristo? Houve uma ocasião em sua vida que você reconheceu o seu pecado, tomou conhecimento do amor de Deus por você, e da oferta de salvação, feita por Jesus? Não estou falando de religião . Falo de uma experiência , na qual uma pessoa é capaz de ver seu pecado, sua culpa e sua condenação na cruz, onde Jesus morreu em seu lugar, a fim de dar-lhe o perdão e a vida eterna. Como resultado disso, essa pessoa se arrepende dos seus pecados e convida Jesus a entrar na sua vida, como seu único Senhor e Salvador. Você já nasceu de novo? Você entrou no mundo pelo nascimento físico, trouxe a herança e o nome dos seus pais. Você tem uma identidade . O governo lhe concedeu uma Carteira de Identidade, que o identifica como cidadão. Nela estão registradas informações a seu respeito. Através dela, ficamos sabendo seu nome, data do seu nascimento, o nome dos seus pais, e assim por diante. Mas isso não é tudo. Sua vida na terra durará apenas poucos anos, comparada com a eternidade que aguarda a cada um de nós. Só o fato de você ter nascido, já o identifica como pecador, embora essa informação não conste no seu RG. Na Palavra de Deus, o nosso Criador, porém, é dito a respeito de você e de mim: “Eu nasci na iniqüidade, e em pecado me concebeu minha mãe” ( Salmo 51:5 ). Ainda no ventre materno, portanto, a natureza pecaminosa dos nossos pais foi entretecida em nosso ser. Por isso mesmo, em chegando à idade da razão, a coisa mais simples para nós, é fazer coisas erradas. A isso a Bíblia chama de pecado . Pecar é errar o alvo. É não ser o que Deus planejou que fôssemos. E não há homem que não peque. A Palavra de Deus declara: “Todos pecaram e carecem da glória de Deus” ( Romanos 3:23 ). Essa identidade de pecadores nos coloca numa posição de culpa e condenação. Nossa própria consciência, que serve de lei em nosso coração, nos acusa, conforme diz o Apóstolo Paulo: “Estes mostram a norma da lei gravada no seu coração, testemunhando-lhes também a consciência e os seus pensamentos, mutuamente acusando-se ou defendendo-se” ( Romanos 2:15 ). A implicação disso é que não apenas temos a identidade de pecadores mas, como tal, nosso destino final é a morte eterna . Morte significa separação de Deus. A Bíblia declara: “Porque o salário do pecado é a morte” ( Romanos 6:23 ). Apesar de tudo isso, temos uma boa notícia: “Porque Deus amou ao mundo de tal maneira que deus seu Filho unigênito, para que todo o que nele crê não pereça, mas tenha vida eterna” ( João 3:16 ). “O dom gratuito de Deus é a vida eterna em Cristo Jesus , nosso Senhor” ( Romanos 6:23 ). Que alívio! Nosso destino pode ser mudado. Como? Mudando de identidade espiritual . É disso que Jesus fala quando conversa com Nicodemos, um homem extremamente religioso. “Em verdade, em verdade te digo que, se alguém não nascer de novo, não pode ver o reino de Deus.” Perguntou-lhe Nicodemos: Como pode um homem nascer sendo velho? Pode, porventura, voltar ao ventre materno e nascer segunda vez? Respondeu Jesus: Em verdade, em verdade te digo: quem não nascer da água e do Espírito não pode entrar no reino de Deus. O que é nascido da carne é carne; e o que é nascido do Espírito é espírito. Não te admires de eu te dizer: importa-vos nascer de novo. “O vento sobra onde quer, ouve a sua voz, mas não sabes donde vem, nem para onde vai; assim é todo o que é nascido do Espírito” ( João 3:3-8 ) Você pode perguntar, à semelhança de Nicodemos: como posso nascer de novo? Tem isso a ver com reencarnação? Absolutamente não. Jesus fala de dois nascimentos : A CARNE - nascimento físico, do qual você recebeu uma Certidão Civil. NASCIDO DO ESPÍRITO - Nascimento espiritual, que acontece quando você abre o coração para a Palavra de Deus e o Espírito Santo. “Nascer da água e do Espírito” é isso: assim como, para que você viesse à terra, foi necessário ser gerado no ventre de sua mãe pela semente do seu pai, espiritualmente, a semente de Deus, que é Jesus, a Palavra viva, representada pela água, é plantada em seu coração. Ali o Espírito Santo trabalha, e algo acontece em seu interior: o novo nascimento . Da união entre o Espírito Santo e a Palavra, dentro de você, a vida de Deus é gerada em seu coração. Assim como você sente o vento e não sabe de onde ele vem ou para onde vai, quando você nasce de novo, percebe uma mudança interior, embora não saiba explicar como as coisas aconteceram. Algo novo veio à luz. Deus se tornou presente e real. Está dentro de você. Você não sabe como sabe, mas sabe que sabe que Ele veio morar em seu coração. Raia um novo dia, uma nova esperança, há uma sensação de plenitude! Você nasce de novo! Passa, então, a fazer parte do registro de nascimentos do Livro da Vida , o que lhe garante a prerrogativa de ser cidadão do Reino de Deus, com todos os direitos e deveres. Recebe um novo nome: Filho de Deus . Você adquire uma nova identidade . A palavra de Deus agora o chama de santo, eleito, justo, crente, membro da família de Deus, herdeiro de Deus e co-herdeiro com Cristo. O Céu é o seu destino final, por direito de novo nascimento. Você passa a estar em aliança com Deus. Isso implica no fato de que tudo quanto é seu, torna-se dEle. Por outro lado, tudo quanto é dEle, torna-se seu. Glória a Deus! É mui linda a sua herança! Esse tipo de experiência já aconteceu na sua vida? Se não, por que esperar? Agora mesmo, saiba que Jesus está diante de você. O Espírito Santo também. Jesus olha para você e diz: “Eu vim buscar e salvar o que se havia perdido. Eu me coloco à porta do teu coração e bato. Posso entrar? Ninguém tem maior amor do que este, de dar a vida pelos seus amigos; mas Deus provou o Seu amor para contigo quando Eu morri em teu lugar a fim de pagar a tua dívida, o teu pecado. De graça te ofereço a vida eterna, porque com amor eterno te amei e com cordas de amor te atraí”. Responda agora a tão grande demonstração de amor. Olhe para a cruz e veja a maior expressão de graça e misericórdia que você poderia jamais encontrar. Jesus ali, assumindo o seu lugar, sua velha identidade em Adão, a fim de dar-lhe uma nova identidade em Deus. Ele se tornou filho do homem , para que você se torne filho de Deus ; Tornou-se pecado , para que você se torne justiça de Deus ; Tornou-se Doença , para que pelas Suas pisaduras você seja sarado ; Tornou-se pobre , desprovido de tudo, para que você tenha toda a provisão ; Tornou-se maldição , para que você seja herdeiro de toda bênção ; Nasceu na Terra dos homens, tornando-se semelhante em tudo aos homens, para que você nasça no Reino de Deus e seja conforme a Sua imagem, que é a imagem de Deus

QUEM É JESUS CRISTO

Judeu da Galiléia e fundador do Cristianismo, nascido em Belém, cidade da Judéia meridional, nos últimos anos do reinado de Herodes o Grande, quando Roma dominava a Palestina e Augusto era o imperador. Independente da óptica religiosa, produziu uma das alterações mais profundas na história das civilizações, seja como sua imagem de Filho de Deus ou de moralista sonhador ou de revolucionário. O aparente paradoxo sobre o ano de seu nascimento deve-se a um erro de datação atribuído ao monge Dionísio o Pequeno, encarregado pelo papa, no século V, de organizar um calendário, e o dia 25 de dezembro foi fixado no ano 440 da nossa era como data do seu nascimento com o fim de cristianizar a festa pagã realizada naquele dia. O principal testemunho sobre sua existência são os quatro evangelhos, base da fé cristã, onde estão relatadas suas palavras e obras e as reações de seu povo, escritos originalmente em grego, se bem que o de Mateus pode provir de um texto anterior, em aramaico, aparentemente escritos antes do ano 80, exceto o de João, escrito no final do século I. Esses escritos coincidem entre si e com relatos de historiadores da época, Filho de José, carpinteiro de Nazaré, na Galiléia, e sua esposa, a Virgem Maria, nasceu quando seus pais estavam em Belém por causa de um recenseamento. Como a notícia de que teria nascido aquele que seria o rei dos judeus, e como não sabia do seu paradeiro, Herodes ordenou uma matança de todas os meninos de Belém e no seu território, com até dois anos de idade (Mt 2:16), mas ele escapou da matança porque seus pais fugiram para o Egito, onde permaneceram até a morte de Herodes, alguns meses após, quando então José decidiu regressar com sua família e estabeleceu-se em Nazaré, e onde Jesus passou a maior parte de sua vida trabalhando com o pai nas tarefas de carpintaria. Sua primeira aparição pública, aos 12 anos, segundo Lucas, deu-se quando a família visitava Jerusalém e seus pais o encontraram entre os doutores do Templo, ouvindo-os e interrogando-os. Segundo a tradição, aos trinta anos encontrou-se, na Judéia, com seu primo João Batista, filho de Zacarias, famoso na região do Jordão por pregar o batismo como sacramento de penitência para o perdão dos pecados, sendo também por João batizado. Iniciou a pregação da boa nova, o evangelho para os gregos. Seguiu-se então acontecimentos impressionantes como o jejum no deserto, durante quarenta dias e quarenta noites, o episódio das bodas de Caná, primeira manifestação do seu poder divino, a expulsão dos mercadores do templo, a prisão de João Batista e o episódio da mulher samaritana. Iniciando sua pregação intinerante e a realização dos inúmeros milagres, foi da Samaria à Galiléia e, rejeitado em Nazaré, chegou a Cafarnaum, às margens do mar da Galiléia, onde aconteceu o episódio da pesca milagrosa, e escolheu seus primeiros apóstolos: Simão Pedro, seu irmão André e os filhos de Zebedeu, Tiago e João, mais Filipe e Natanael, ex-discípulos de João Batista. Aos 31 anos completou seus 12 apóstolos, todos eles galileus, realizou o famoso sermão da montanha e pregou suas mais notáveis parábolas, com as quais transmitia sua doutrina ao povo, aos sacerdotes e a seus seguidores. No período de seus 32 anos aconteceu a morte de João Batista por ordem de Herodes Antipas, e os dois grandes milagres: a multiplicação dos pães e dos peixes e a ressurreição de Lázaro. Também neste período ensinou no templo de Jerusalém, estabeleceu o primado de Simão, a quem chamou Pedro, e em presença dele, de Tiago e de João, realizou o prodígio da transfiguração e entrou triunfante em Jerusalém. O povo judaico esperava por um salvador revolucionário e libertador que recuperasse sua independência política perdida desde o exílio da Babilônia, no fim do século VI a. C., e depois de dominados por outros povos, tinham passado ao poder de Roma (63 a.C). Portanto a sua pregação, para muitos judeus, estava longe de ser coerente com a missão Divina de ser o rei dos judeus. Aos 33 anos, foi considerado blasfemo e acusado de conspirar contra o César, quando Tibério era o imperador de Roma. Aprisionado no horto de Getsâmani, foi levado até ao pontífice Anás e, ante Caifás, o príncipe dos sacerdotes, com quem se haviam reunido os escribas e os anciões, e passou a ser submetido a um processo religioso. Mais tarde, foi conduzido à residência do procurador romano da Judéia, Pôncio Pilatos, que sem entender a revolta da polpulação, o enviou a Herodes Antipas. Por um gesto político de Herodes, foi devolvido a Pilatos, que não achando delito nenhum naquele homem, mas diante à pressão dos chefes de Israel e de uma multidão incitada por eles, ainda propôs uma permuta de prisioneiros. Porém a maior parte da multidão optou pela soltura do prisioneiro político Barrabás quando da opção de troca proposta pelo governo. Então pronunciou a sentença da condenação de Jesus à morte na cruz, depois de declarar-se inocente de seu sangue. De acordo com as leis romanas, foi flagelado e teve que carregar a cruz até a colina do Calvário, no monte Gólgota. Ali foi crucificado junto com dois malfeitores comuns, no dia 7 de abril (30), com pouco mais de 33 anos de idade.

APÓS SUA VISITA DÊ SUA OPINIÃO NA PAGINA "COMENTÁRIOS" OBRIGADO ( JESUS TE AMA ) E EU TAMBEM